Archive for the ‘Antigüidade e Alta Idade Média’ Category

Sem. em Hist. do Poder – Marcelo Rede

agosto 13, 2007

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
Centro de Estudos Gerais
Instituto de Ciências Humanas e Filosofia
Área de História
Departamento de História
Curso de Graduação em História

Professor: Marcelo Rede
Disciplina: Sem. em Hist. do Poder
Código: GHT
Carga Horária: 60h / Semestrais
Tipo:
Eixo Cronológico: A/AIM
Linha Temática: Poder

Período: 2/2007
Turma: N1
Horário:
Ementa: Tema Monográfico

Programa de Disciplina
Título do Programa: Histórias cruzadas: Israel e Mesopotâmia (séculos IX-VI a.C.)

Objetivos: Oferecer um panorama da história de Israel em seu contexto médio-oriental, particularmente no que diz respeito aos contatos decisivos com as trajetórias da Assíria e da Babilônia. Ao mesmo tempo, procurar-se-á rediscutir o papel e os limites do texto bíblico como fonte historiográfica e avaliar a contribuição dos dados arqueológicos para a reconstituição do panorama siro-palestino e do Levante.

Unidades:
1. Aspectos teóricos e metodológicos
– A história de Israel em debate: críticas e perspectivas
– Arqueologia bíblica e estudos médio-orientais
– A Bíblia como documento histórico: possibilidades e limites
2. O fim da Idade do Bronze
– Um panorama da crise do Bronze Tardio
– As “invasões dos Povos do Mar”
– A situação Mesopotâmica e Egípcia
– A situação no Levante: o ‘êxodo’ e a ‘invasão de Canaã’ existiram?
3. Primórdios da história política de Israel
– Um estado sem rei: patriarcas e juízes
– Salomão e David: entre o mito e a história
4. Realidades do Norte: Israel e Assíria
– a constituição dos dois reinos
– O reino de Israel
– a expansão assíria
– o problema egípcio
5. Realidades do Sul: Judá e Babilônia
– O reino de Judá
– Babilônia, senhora do mundo
– O cativeiro da Babilônia
6. Um novo mundo: A Pérsia
– A expansão de Ciro, o Grande
– O fim da Babilônia
– O retorno dos exilados e a refundação do judaísmo

Bibliografia de Referência: (no máximo 10 títulos)

– Liverani, M. – Más Allá de la Biblia. Historia Antigua de Israel. Barcelona, 2005.
– Whitelam, K. W. The Invention of Ancient Israel. The  silencing of Palestinian history. London, 1996.
– Bright, J. – História de Israel. São Paulo, 2003 (7ª edição revista).
– Provan, I et alii – A Biblical History of Israel. Louisville, 2003.
– Maxwell Miller, J. & Hayes, J. H. – A History of Ancient Israel and Judah. Louiville, 2006.
– Bordreuil, P. & Briquel-Chantonnet, Fr. – Le Temps de la Bible. Paris, 2000.
– Stern, E. – Archaeology of  the Land of the Bible. Vol. 2 (The Assyrian, Babylonian, and Persian periods). New York, 2001.
– Finkelstein, I. & Silbermanm N. A. – La Bible Dévoilée. Paris, 2002.
– Santos, A. R. dos – A Babilónia dos Caldeus. Lisboa, 2003.
– Joannès, F. – La Mésopotamie au 1er millénaire avant J.-C. Paris, 2000.
– Redford, D. B. – Egypt, Canaan, and Israel in Ancient Times. Princeton, 1992.
– Thompson, Th. L. – The Mythic Past. Biblical Archaeology and the myth of Israel. London, 1999.

Avaliação:
(Procedimentos de avaliação): Seminários de leituras documentais e dissertação ao final do curso.

Anúncios

História da Sexualidade – Alexandre Carneiro

agosto 13, 2007

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
Centro de Estudos Gerais
Instituto de Ciências Humanas e Filosofia
Área de História
Departamento de História
Curso de Graduação em História

Professor: Alexandre Carneiro Cerqueira Lima
Disciplina: História da Sexualidade    
Código:    
Tipo:         
Eixo Cronológico: Idade Antiga
Linha Temática: Cultura, Mentalidades e Ideologias

Período: 2/2007
Turma:   
Horário: 4a: 08/10 – 6a: 08/10

Ementa: A sexualidade na historiografia. As noções de pornografia, erotismo e de philía (amizade/ amor). Práticas sexuais dos helenos, dos etruscos e dos romanos (textos e imagens). Prostituição no mundo antigo.

Programa de Disciplina
Título do Programa: A sexualidade entre gregos, etruscos e romanos.

Objetivos: Identificar na historiografia os estudos sobre corpo, gênero, festas e sexualidade. Discutir as noções de pornografia, erotismo, philía e hetero/homo-philía. Analisar as pinturas nos vasos coríntios e áticos, bem como os afrescos etruscos e mosaicos romanos.

Unidades:
Unidade I – Historiografia
1 – A história da sexualidade
2 – Historiografia sobre mulheres
3 – A história do corpo

Unidade 2 – Festa e Sexualidade
1 – Ritos de inversão e de subversão
2 – A exacerbação do corpo

Unidade 3 – Diversões e Prostituição
1 – Imagens das cortesãs gregas
2 – Dançarinas etruscas
3 – Os afrescos de Pompéia

Bibliografia de Referência:
BAKHTIN, M. A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento: Contexto de François Rabelais. São Paulo – Brasília: Hucitec – Edunb, 1993.
CLARKE, J.R.  Le Sexe à Rome. Paris: Éditions de la Martinière, 2004.
D’AGOSTINO, B. e CERCHIAI, L. Il Mare, la Morte, l’Amore. Roma: Donzelli, 1999.
DOVER, K. J. A Homossexualidade Grega. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.
FOUCAULT, M. A História da Sexualidade 1: a Vontade de Saber. Rio de Janeiro: Graal, 2006 (1984).
A História da Sexualidade 2: o Uso dos Prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 2007 (1984).
A História da Sexualidade 3: o Cuidado de si. Rio de Janeiro: Graal, 2005 (1984).
JACOBELLI, L. Le Pitture Erotiche delle Terme Suburbane di Pompei. Roma: L´Erma di Bretschneider, 1995.
LIMA, A.C.C. Cultura Popular em Atenas no V Século a. C. Hélade:  Suplemento I. Rio de Janeiro: Sette Letras, 2000.
LISSARRAGUE, François. Un Flot d’Images: une Esthétique du Banquet Grec.    Paris: Editions Adam Biro, 1987.
MARROU, H.-I. Histoire de l’Éducation dans l’Antiquité: le Monde Grec. Paris: Éditions du Seuil, 1981.
MILES, C. (org.) Love in the Ancient World. London: Weidenfeld & Nicolson, 1997.
MOSSÉ, Cl. Splendeur et Misère de la Courtisane Grecque; in: La Grèce Ancienne. Paris: Éditions du Seuil, 1986.
POMEROY, S. Diosas, Rameras, Esposas y Esclavas. Madrid: Akal, 1999 (1987).
ROBERT, J.-N. Os Prazeres em Roma. São Paulo: Martins Fontes, 1995 (1983).
RODRIGUES, J.C. Tabu do Corpo. Rio de Janeiro: Achiamé, 1975.
SALLES, C. Les Bas-Fonds de l’Antiquité. Paris: Payot, 1995 (1982).
SHAPIRO, H. A. Eros in Love: Pederasty and Pornography in Greece. In: RICHLIN, A. (org.) Pornography and Representation in Greece & Rome. New York-Oxford: Oxford University Press, 1992.
SILVA, M. M. R. S. A Historiografia Descobre a ‘Festa’. Hélade 1 (1), 2000 (http://www.heladeweb.net/N12000/maria_manuela.htm).
STEINGRABER, S. Les Fresques Étrusques. Paris: Éditions Citadelles & Mazenod, 2006 (2005).
SUTTON, R.F. Pornography and Persuasion on Attic Pottery. In: RICHLIN, A. (org.) Pornography and Representation in Greece & Rome. New York-Oxford: Oxford University Press, 1992.
VANOYEKE, V. À Athènes, la Prostitution revêt un Carctère Sacré. Historia, no. 600, janeiro de 1997, pp. 35-37.
VARONE, A. L´Erotismo a Pompei. Roma: L’Erma di Bretschneider, 2000.

Avaliação: Fichamento de textos e discussão dos mesmos em forma de argüição oral. O aluno deverá submeter-se a duas provas escritas.

História econômico-social da Antiguidade – Ciro Cardoso

agosto 13, 2007

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
Centro de Estudos Gerais
Instituto de Ciências Humanas e Filosofia
Área de História
Departamento de História
Curso de Graduação em História

Professor: Ciro Cardoso
Disciplina: História econômico-social da Antiguidade
Código: GHT 04134
Carga Horária: 60h / Semestrais
Eixo Cronológico: Antiguidade/Alta Idade Média
Linha Temática: Economia/idéias econômicas

Período: 2/2007
Turma: A1
Horário: 3ªf. 10/12 e 5ªf. 10/12

Ementa: Trata-se de um curso com ênfase temática: a economia e a sociedade antiga e da Alta Idade Média serão enfocadas sublinhando-se a circulação de bens. Tomando tal aspecto como cerne das preocupações principais, abordar-se-á o assunto do curso segundo dferentes linhas teórico-metodológicas, observando as diferenças resultantes no modo de enxergar as diferentes temáticas sob análise.

Programa de Disciplina
Título do Programa: A circulação de bens na Antiguidade e na Alta Idade Média

Objetivos:
1. Proporcionar um panorama geral das linhas teóricas que coexistem e competem entre si nas disciplinas que se ocupam da História Econômico-Social da Antiguidade e da Alta Idade Média;
2. Proporcionar uma visão de conjunto da problemática específica de tipo econômico-social no relativo à Antiguidade e à Alta Idade Média, dentro do eixo principal escolhido.
3. Simular o trabalho do historiador mediante o tratamento, em sala de aula, de fontes primárias traduzidas.

Unidades:
Perspectivas teóricas
1. O substantivismo ou realismo econômico de Karl Polanyi; outras perspectibvas deutero-weberianas
2. A teoria econômica clássica aplicada ao pré-capitalismo (formalismo)
3. A teoria marxista acerca dos modos de produção pré-capitalistas e suas formas de circulação
4. Alguns debates da Arqueologia contemporânea: centro/periferia; sistema mundial pré-capitalista

Exemplos
1.  Antigo Oriente Próximo: o Egito e a Ásia Ocidental na segunda metade do segundo milênio a.C. (Era Tardia do Bronze)
2. Aplicação de análises arqueológicas baseadas na teoria da relação centro/periferia a diversos casos da Antiguidade e da Alta Idade Média
3.  As origens da economia grega da Idade do Ferro segundo David W. Tandy
4.   Os “minimalistas” e seus críticos no contexto da História Econômico-Social da Roma Antiga
5.   Os empórios da Alta Idade Média

Avaliação: Haverá dois exames escritos, no meio e no fim do semestre letivo, além de um trabalho (escrito ou oral) individual ou em grupo, a ser discutido com o professor. Neste caso, devido à dificuldade de obter textos em português ou em espanhol em quantidade suficiente, não pode ser admitida uma grande gama de escolhas quanto aos que não forem capazes de ler outras línguas estrangeiras.

Bibliografia de Referência (no máximo 10 títulos):
ALLAM, S. et alii. Stato, economia, lavoro nel Vicino Oriente antico. Milano: Franco Angeli, 1988.
BERNARDO, João. Poder e dinheiro. Do poder pessoal ao Estado impessoal no regime senhorial, séculos V-XV. Porto: Afrontamento, 1995, 1997 (2 vols.).
CAPOGROSSI, Luigi et alii (org.). Analisi marxista e società antica. Roma: Istituto Gramsci Editori Riuniti, 1978.
CARDOSO, Ciro Flamarion. Sete olhares sobre a Antigüidade. Brasília: Editora UnB, 1994, capítulo 5.
FINLEY, Moses I. A economia antiga. Porto: Afrontamento, 1980.
POLANYI, Karl et alii. Comercio y mercado en los imperios antiguos. Barcelona: Labor, 1976.
RANDSBORG, Klavs. The first millenium A.D. in Europe and the Mediterranea. An archaeological essay. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.
ROWLANDS, Michael, LARSEN, Mogens e KRISTIANSEN, Kristian, (orgs.). Centre and periphery in the ancient world. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.
TANDY, David W. Warriors into traders. The power of the market in Early Greece. Berkeley-Los Angeles: University of California Press, 1997.
VEGETTI, Mario (org.). Marxismo e società antica. Milano: Feltrinelli, 1977.

Seminário em História do Poder e das Idéias Políticas IV – Edmar Checon de Freitas

agosto 13, 2007

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
Centro de Estudos Gerais
Instituto de Ciências Humanas e Filosofia
Área de História
Departamento de História
Curso de Graduação em História

Professor: Edmar Checon de Freitas
Disciplina: Seminário em História do Poder e das Idéias Políticas IV (GHT04212)
Tipo: Ciclo profissional
Eixo Cronológico: Antigüidade e Alta Idade Média
Linha Temática: Poder e Idéias Políticas

Período: 2/2007
Turno: N
Horário: 2fª. 20/22 e 4fª. 20/22

Programa de Disciplina
Título: Monarquia e Igreja na Alta Idade Média: francos e visigodos.

Objetivos:
* Analisar as transformações políticas no Ocidente entre os séculos V e VIII, destacando a emergência das monarquias germânicas;
* Discutir as relações entre Igreja e monarquia nos reinos franco e visigótico na Alta Idade Média;
* Caracterizar as estruturas políticas nos reinos franco e visigótico na Alta Idade Média, considerando os respectivos contextos sócio-econômicos.

Unidades:
1. História Política e Idade Média;
2. Estado, Realeza e Império na Alta Idade Média;
3. As monarquias germânicas e a herança romana;
4. O cristianismo e as monarquias germânicas: santos, bispos e a realeza cristã;
5. A realeza franca: da conversão de Clóvis à ascensão carolíngia;
6. Os visigodos: do arianismo à conquista muçulmana.

Bibliografia Básica (máximo de 10 obras):
BANIARD, Michel. A Alta Idade Média Ocidental. Mem Martins: Europa-América.
BROWN, Peter. A ascensão do cristianismo no Ocidente. Lisboa: Presença, 1999.
DHONDT, Jan. La Alta Edad Media. 19. ed. Mexico, DF: Siglo XXI, 1992.
FAVIER, Jean. Carlos Magno. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.
GEARY, Patrick J. Before France and Germany: the creation and transformation of the Merovingian  world. New York: Oxford University Press, 1988.
JAMES, Edward. The Franks. Oxford: Basil Blackwell, 1988.
LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente medieval. Bauru: Edusc, 2005.
LE GOFF, Jacques; SCHMITT, Jean-Claude (Org.). Dicionário temático do Ocidente Medieval. São Paulo: Edusc, 2002, 2.v.
WOLFRAM, Herwig. History of Goths. Berkeley: University of California Press, 1990.
WOOD, Ian. The Merovingian kingdoms. London: Longman, 1994.

Avaliação:
* Prova (P), individual e discursiva: valor = 10; peso = 2;
* Seminário (S): valor = 10; peso =1; a nota corresponderá à soma dos seguintes itens:
* Material preparado para apresentação (3,0; nota coletiva);
* Coerência, profundidade e abrangência da apresentação (4,0; nota coletiva);
* Desempenho individual na apresentação (clareza, domínio do conteúdo => 3,0; nota individual);
* Os alunos poderão optar por pela análise de fontes primárias ou a apresentação e discussão de teses ou dissertações relacionadas ao tema da disciplina;
* Média= (2P + S)/3