Títulos dos cursos, ementas e atualização do horário. [Atualizado em 27/01]

janeiro 27, 2009

ATUALIZAÇÃO DO HORÁRIO

O seguinte curso não será mais oferecido:

GHT04189 – A1 – Hist. dos Movs. Polit. E Revol. Na América do Norte – Contemp – André

O horário corrigido pode ser acessado aqui: horario-2009-1-14jan

Títulos e Ementas

A disponibilização dos títulos dos cursos e/ou ementas depende do envio destes pelos professores à coordenação. Esse post fica como um índice do que já foi disponibilizado até o momento, e será atualizado conforme outras ementas sejam adicionadas.

——————————

1. [ GHT04229] História da Cultura, Mentalidade e Ideologia no Brasil Colonial – Fátima Gouvêa – Cultura e Mentalidades Políticas no Brasil Colonial. O Brasil e a monarquia pluricontinental portuguesa: formas de pertencimento cultural, social e político, sécs. XVI, XVII e XVIII.

2. [GHT04344] Seminário Poder e Idéias Políticas XIV – Daniel Aarão – As grandes revoluções do seculo XX: Rússia, China e Cuba.

3. [GHT04328] Sem. Hist. Econ. Social XI – Verónica Secreto – Escravidão nas Américas.

4. [GHT04278] História do Poder e das Idéias Políticas – Ronald Raminelli – Elites: conceitos e perspectivas no Antigo Regime Ibérico.

5. [GHT04200] História do Anarquismo –  Carlos Addor – Anarquismo no Brasil: história, memória e cultura.

6. [GHT04214] Seminário Poder e Id. Pol. V – Rodrigo Bentes – Maquiavelismos e razões de Estado na Época Moderna.

7. [GHT04156] História das Relações Econ. Internacionais – Bernardo Kocher – Introdução a Economia Política Internacional.

8. [GHT04173] Seminário em Hist. Econ. Social X – Cezar Honorato – O Rio de Janeiro Urbano.

9. [GHT04193] Hist. Poder e Id. Polit. Brasil Rep. – Laura Maciel – Memória, História e Poder

10. [GHT04183] Historia do Poder e Id. Pol. Na Europa Contemporânea – Denise Rollemberg

11. [SEN00086] Economia Politica – Marcelo Dias Carcanholo – Leitura dos Livros II  e III de “O Capital”

12. Disciplinas do NIEP em 2009/1.

13. [GHT04252] Sem. Hist. C. M. I. Alta Id. Méd. III – Edmar Checon de Freitas – História da Cultura Mentalidades e Ideologias na Alta Idade Média: Cristianismo e paganismo – séc. IV-VIII.

14. [GSO04019] Sociologia de Karl Marx – Maurício Vieira Martins – Sociologia de Karl Marx.

15. [GHT04246] História Social da Família – Gizlene Neder – História Social da Família

Anúncios

[GHT04246] História Social da Família – Gizlene Neder

janeiro 27, 2009

[GHT04246] História Social da Família

Professora: Gizlene Neder

Título do curso: História Social da Família

Ementa:
Delimitação do tema: A disciplina enfocará a história social da(s) família(s), com ênfase nos estudos do campo da história política (instituições políticas, relações de força, cultura política e sociabilidade política), na passagem à modernidade. As formações históricas européias (França, Inglaterra e Portugal) serão analisadas comparativamente face às implicações no processo de circulação de idéias e apropriação cultural na sociedade brasileira entre o século XIX e as primeiras décadas do século XX.

Programa:
1. Famílias no pensamento político europeu:
1.1. Da teologia moral à filosofia moral burguesa.
1.2. Cultura Política e cultura religiosa.

2. Circulação de idéias iluministas sobre família (e educação) em Portugal e no Brasil na virada do século XVIII para o XIX:
2.1. Construção social da sensibilidade romântica;
2.1. Romantismo, conservadorismo e liberalismo: pátrio poder, condição feminina e filiação.

3. Escravidão, liberalismo e história social das famílias no Brasil:
3.1. Patriarcalismo, paternalismo, submissão e obediência;
3.2. Pátrio poder e escravidão;
3.3. Famílias escravas no Brasil oitocentista.

4. Idéias sobre família e educação no Brasil na virado do século XIX para o XX:
4.1. Republicanismo, positivismo e  as novas concepções sobre família e educação.
4.2. Conservadorismo clerical; integrismo e modernismo;
4.3. As estratégias da Igreja para a família e educação no Brasil republicano: a construção social da idéia de família regular X família irregular.

Bibliografia Básica:
ARIÈS, P. (org.). História da Vida Privada, vol, 4 e 5, SP, Companhia das Letras.
_____________ . História Social da Criança e da Família, RJ, Zahar.
BOSSY, John. A Cristandade no Ocidente, Lisboa, Ed. 70.
FOUCAULT, Michel e FARGES, Arlette. Le désordre des familles, Paris, Gallimard.
GAY, Peter. A educação dos sentidos, SP, Companhia das Letras.
LACOUTURE, Jean. Os Jesuítas, volume 2, Porto Alegre, L&PM.
MATTOS, Hebe. Das Cores do Silêncio, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.
NEDER, Gizlene e CERQUEIRA FILHO, Gisálio. Idéias Jurídicas e Autoridade na Família, Rio de Janeiro: Revan, 2007.
NEDER, Gizlene. “Entre o Dever e a Caridade: assistência, abandono, repressão e responsabilidade parental do Estado”, In Discursos Sediciosos. Crime, Direito e Sociedade, Ano 9, no. 14, Rio de Janeiro: Revan, 2004, p. 199-231.
NEDER, Gizlene & CERQUEIRA FILHO, Gisálio. “Law, Family and Policies for Street Children in Brazil’, In International Journal of Law, Policy and the Family, 12, dec, 1998, Oxford University Press.
NOVAIS, Fernando (direção). História da Vida Privada no Brasil, volumes 2 e 3, São Paulo: Companhia das Letras.
PRIORE, Mary Del (org.). História da Criança no Brasil, São Paulo: Contexto, 1991.
SLENES, Robert. “Lares negros, olhares brancos: história da família escrava no século XIX”, In Revista Brasileira de História, número especial: Escravidão, São Paulo, 1988.
SCHWARZ, Roberto. Um Mestre na Periferia do Capitalismo, São Paulo: Duas Cidades.
VENÂNCIO, Renato Pinto. Famílias Abandonadas. Assistência à criança de camadas populares no Rio de Janeiro e em Salvador. Séculos XVIII e XIX, São Paulo: Papirus, 1999.

Nota: Bibliografia complementar será indicada no decorrer do curso.

Avaliação: média aritmética de duas notas:
1. Trabalho individual de caráter monográfico, abordando um dos temas selecionados (a relação dos temas será discutida com a turma).
2. Prova individual (avaliação da habilidade de síntese dos conteúdos programáticos abordados durante o curso).

[GSO04019] Sociologia de Karl Marx – Maurício Vieira Martins

janeiro 27, 2009

[GSO04019] Sociologia de Karl Marx

Professor: Maurício Vieira Martins

Título do curso: Sociologia de Karl Marx

Pré-requisitos: O professor recomenda que, para um melhor aproveitamento da disciplina, os alunos já tenham cursado pelo menos três períodos de créditos na universidade.

Ementa:
O curso irá aprofundar  o estudo de alguns conceitos fundamentais do pensamento de K. Marx. Para tanto, será preciso apresentar inicialmente a fundamentação filosófica do pensamento do autor (o que envolve inclusive o conhecimento da polêmica com seus interlocutores mais imediatos).

Em seguida, será analisado o entendimento marxiano da constituição da sociedade humana a partir de uma relação dos homens com a natureza e com os grupos sociais, bem como os conceitos que estão aí presentes: divisão do trabalho, forças produtivas, relações de produção, valor de uso, valor de troca, alienação, etc. Ao mesmo tempo, será feito um esforço para entender a tendência que o valor de troca apresenta em se expandir por circuitos mercantis cada vez mais abrangentes, gerando o fenômeno que hoje em dia vem sendo nomeado como globalização.

Por fim, realizaremos um balanço de alguns temas estudados ao longo do curso, tentando avaliar até que ponto eles se aplicam ao nosso mundo contemporâneo.

Bibliografia básica:
Marx, Karl e Engels, Friedrich – A ideologia alemã e Teses sobre Feuerbach
———————————— – “Cartas”, in Obras escolhidas, vol. 3., Ed. Alfa-ômega.
Marx, Karl – “Introdução à Crítica da Economia Política”, in Contribuição à Crítica da Economia Política.
————- – “Introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel”, in A questão judaica, Ed.Moraes.
Marx, Karl – Manuscritos econômicos e filosóficos (Primeiro e Terceiro Manuscritos)
————– –  O capital (capítulos referentes aos conceitos de trabalho necessário e excedente) e  “Posfácio à edição alemã”.
————- – “Prefácio” à Contribuição à Crítica da Economia Política.
————– – Salário, preço e lucro

Bibliografia de apoio (opcional):
Anderson, Perry – A crise da crise do marxismo, Ed. Brasiliense.
Bensaïd, Daniel – Marx: o intempestivo, Civilização Brasileira.
Lukács, György – Os princípios ontológicos fundamentais de Marx, Ed. Ciências Humanas.
Mello, Alex Fiúza de – Marx e a globalização, Boitempo Editorial.
Mészáros, I. – Marx: a teoria da alienação, Zahar Editores.

[SEN00086] Economia Politica – Marcelo Dias Carcanholo

janeiro 21, 2009

[SEN00086] Economia Politica

Professor: Marcelo Dias Carcanholo

Título do curso: Leitura dos Livros II  e III de “O Capital”

Ementa: econpolit

OBSERVAÇÃO: A despeito da inexistência de pré-requisito formal, o curso pressupõe um contato prévio com o Livro I de O Capital (K. Marx).

Disciplinas do NIEP em 2009/1

janeiro 21, 2009

Segue um arquivo com as disciplinas oferecidas em 2009/1 pelos professores vinculados ao NIEP: niep-2009-1

Mesmo as optativas que não aparecem na pré-inscrição podem ser cursadas mediante o pedido de abertura de vaga nos departamentos.

Historia do Poder e Id. Pol. Na Europa Contemporânea – Denise Rollemberg

janeiro 19, 2009

Historia do Poder e Id. Pol. Na Europa Contemporânea

Professor: Denise Rollemberg

Título do curso: A República de Weimar: Alemanha, 1919-1933

Início: 9 de março; final (previsão): 17 de junho (30 aulas).

Ementa:

Programa: A disciplina pretende introduzir o aluno de graduação na história da Alemanha no período entre as duas Guerras Mundiais, através do estudo da República de Weimar, do seu nascimento (1919), até a ascensão do nacional-socialismo ao poder (1933). Nascida da derrota do império militarista na Grande Guerra, a República esteve profundamente marcada pela aliança com as forças anti-republicanas, antidemocráticas e monarquistas. Durante este período, a Alemanha vivenciou movimentos sociais, artísticos e culturais inovadores e revolucionários nos campos das esquerdas e das direitas. Entre a tradição monárquica, a perspectiva de construção da República e o surgimento do ideário nazista, as tensões e contradições moldaram a identidade da República de Weimar.

Objetivos:

– compreender o nascimento da República alemã, no contexto das tradições imperiais e da derrota na Grande Guerra.

– estudar o processo da Revolução Alemã, sua força e sua derrota.

– compreender o papel da social-democracia alemã, na instauração do regime republicano.

– estudar a evolução política da República de Weimar.

– compreender as contraditórias forças e tendências sociais que se expressaram em organizações (associações) e manifestações culturais.

– compreender a ascensão do nacional-socialismo ao poder.

– compreender a crise econômica e social.

– estudar a chamada “cultura de Weimar”: literatura, artes plásticas, arquitetura, teatro, cinema.

Unidades:

1) 1ª Fase – 1918-1924:  Pós-Guerra, crises e vanguardas.

–  O fim da Grande Guerra e o nascimento da República (1918).

– Revolução e guerra civil.

– O “Ditado de Versalhes” .

–  A Constituição de Weimar.

–  A crise do pós-guerra.

–  O Expressionismo: artes plásticas, literatura, teatro, dança, música, cinema, arquitetura.

–  A Bauhaus (1919-33).

Textos:

  • Peter Gay. Prefácio e Cap.I (“O trauma do nascimento: de Weimar a Weimar”), Cap. IV (“A ânsia pela totalidade”) e Cap. V (“A revolta do filho: os anos do Expressionismo”).
  • S. Kracauer. “Caligari”.
  • Hagen Schulze, cap. 9, “La Gran Guerra y la postguerra (1914-1923).
  • Horst Möller, Cap. 1.
  • Cláudia Valladão de Mattos, “Histórico do Expressionismo” (pp. 41-63), in J. Grinsburg.
  • Marion Fleischer, “O Expressionismo e a dissolução de valores tradicionais”(pp. 65-81), in J. Grinsburg.
  • Ricardo Timm, “Filosofia e Expressionismo” (pp. 83-101), in J. Grinsburg.

Filmes

– O Gabinete do Dr Caligari, de Robert Wiene, 1920.

– Nosferatu, de F. Murnau, 1922.

2) A 2ª Fase 1924-1929: Estabilidade.

– a «estabilidade» econônica.

– a eleição do general Hindenburg (1925).

– o movimento de jovens.

– os «dourados anos 20».

– Berlim: o paradigma da metrópole.

– a Nova Objetividade (1924-1932): artes plásticas, literatura.

– o teatro.

– a arquitetura.

– o cinema.

Textos:

– Berlim: «Explosão artística e contestação», de J. Schebera e Berlim, Parte 3.

– Peter Gay. Cap. VI  (“A vingança do pai: Ascensão e queda da Objetividade”).

– Hagen Schulze, cap. 10, “Esplendor y final de Weimar (1924-1933).

– Horst Möller, cap. 2.

Filme:

– Metropolis, de Fritz Lang, 1926.

3) A 3ª Fase: 1929-1933: Crise e ascensão do nacional-socialismo

– A Alemanha e a crise de 1929.

– O crescimento da extrema-direita; a barbárie.

– A ascensão do nacional-socialismo ao poder.

– o «assassinado da cultura de Weimar».

  • “Weimar no exílio”.

Textos:

  • Berlim: Parte 4
  • S. Kracauer. “Um assassino entre nós”.
  • Horst Möller, cap. 3.

Filmes:

– O Anjo azul, de Josef von Sternberg, 1930, baseado no livro Professor Unrat, de Heinrich Mann (1905).

– Nada de novo no front/Sem novidades no front, 1930, de Lewis Milestone, baseado no livro Nada de novo no front , de Erich Maria Remarque (1928, folhetins em jornal; 1929, livro).

– M, o vampiro de Dusseldorf, de Fritz Lang, 1931.

– Berlin-Alexanderplatz, de Phil Jutzi, 1931, baseado no livro Berlim Alexanderplatz, de Alfred Döblin.

– A Ópera dos três vinténs, de G. Pabst, 1931, baseado na peça teatral A Ópera dos três vinténs, de Bertolt Brecht, 1928).

– Kuhle Wampe, de Slatan Dudow e Bertold Brecht, 1932 (sobre a vida dos operários nos arredores de Berlim).

– Cabaret, de Bob Fosse, 1972, baseado em contos de Christopher Isherwood, 1935 e 1939, publicados como Adeus a Berlim, de 1939.

  • Mephisto, de István Szabó, 1981, baseado no livro de Klaus Mann, 1936.

Literatura:

  • Alfred Döblin (1878-1957). Berlim Alexanderplatz. Rio de Janeiro, Rocco, 1995.
  • Heinrich Mann (1871-1950). O Anjo azul. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

– Erich Maric Remarque. Nada de novo no front. Porto Alegre, L&PM, 2006 (Coleção L&PM Pocket).

– Thomas Mann. Carlota em Weimar (Lotte in Weimar). 2 ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2000.

——- . A Montanha Mágica. Rio de Janeiro, Nova Fronteira.

——– . Tonio Kroeger.

——- . A morte em Veneza.

– Joseph Roth. Berlim. São Paulo, Cia das Letras, 2006.

Autobiografias/Biografias:

– George Grosz. Um pequeno sim e um grande não. Rio de Janeiro, Record, 2001.

Bibliografia:

– AARÃO REIS Filho. A Revolução alemã. Mitos & versões. São Paulo, Brasiliense, 1984. (Col. Tudo é História, nº 90).

– ALMEIDA, Ângela Mendes de. A República de Weimar e a ascensão do nazismo. São Paulo, Brasiliense, 1982. (Col. Tudo é História, nº 58).

– BLANCHARD, Bertrand. L’Allemagne de 1789 à 1870. Paris, Ellipses Éditions, 2004.

  • CARDINAL, Roger. O Expressionismo. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1984. (Col. Cultura Contemporânea, nº 9).
  • DROSTE, Magdalena, Bauhaus Archiv. Bauhaus. 1919-1933. Berlim, Taschen, 2001.
  • DROZ, Jacques. História da Alemanha. Portugal, Publicações Europa-América, s/d.
  • EISNER, Lotte. A Tela Demoníaca. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.
  • ELGER, Dietmar. Expressionismo. Uma revolução alemã na Arte. Kölh, Taschen, 1998 (edição em português).

– ELIAS, Nobert. Os Alemães. A luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1997.

– FRIEDRICH, Otto. Antes do dilúvio. Um retrato da Berlim nos anos 20. Rio de Janeiro, Record, 1997.

– FURNESS, R. S. Expressionismo. São Paulo, Perspectiva. 1990.

– GAY, Peter. A Cultura de Weimar. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.

  • GROPIUS, Walter. Bauhaus: Novarquitetura. 3ª ed. São Paulo, Perspectiva, 1977. (Col. Debates).
  • GUINSBURG, J. (org.). O Expressionismo. São Paulo, Perspectiva, 2002.

– KRACAUER, Siegfried. De Caligari a Hitler. Uma história psicológica do cinema alemão.

– MÖLLER, Horst. La République de Weimar. Paris, Tallandier, 2005.

– PALMIER, Jean-Michel. Weimar en exil. 2 vols. Paris, Payot, 1988.

– PRZEWORSKI, Adam. Capitalismo e social-democracia. São Paulo, Companhia das Letras, 1989.

– RICHARD, Lionel. A República de Weimar. 1919-1933. São Paulo, Companhia das Letras, Círculo do Livro, 1988. (Col. A vida cotidiana).

– ———— (org.) . Berlim, 1919-1933. A encarnação extrema da modernidade. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1993. (Col. Memória das cidades).

—— . Emil Nolde ou l’obsession de peindre envers et contre tout. Paris, L’Échoppe et Lionel Richard, 2008.

– ROTH, François. L’Allemagne de 1815 à 1918. 2 ème éd. Paris, Armand Colin, 2000.

– ROBINSON, David. O Gabinete do Dr. Caligari. Rio de Janeiro, Rocco, 2000.

– SCHULZE, Hagen. Breve história de Alemanha. Madrid, Alianza Editorial, 2005.

Hist. Poder e Id. Polit. Brasil Rep. – Laura Maciel

janeiro 19, 2009

Hist. Poder e Id. Polit. Brasil Rep.

Professor: Laura Maciel

Título do curso: Memória, História e Poder

Ementa:

Esta disciplina visa refletir sobre processos de produção de memória, em diferentes conjunturas da história brasileira mas com ênfase na primeira República, discutindo a constituição de marcos cronológicos, periodizações, explicações e versões hegemônicas sobre o passado. Pretende, também, realizar exercícios de análise crítica – de testemunhos históricos e textos historiográficos diversos – , que permitam aos alunos refletir sobre dimensões do trabalho do profissional de História e de como eles incidem nesses processos de produção social de memória.

Seminário em Hist. Econ. Social X – Cezar Honorato

janeiro 14, 2009

Seminário em Hist. Econ. Social X

Professor: Cezar Honorato

Título do curso: O Rio de Janeiro Urbano

Ementa:

Objetivo: O processo de urbanização do Rio de Janeiro Cidade e Metrópole séculos XIX e XX, ocorreu gerando um conjunto de contradições sociais (transporte, habitação. saúde, segurança, etc). Logo, é nossa proposta refletir sobre tais questões utilizando o arcabouço científico oriundo da História, da Geografia, da Sociologia e etc,

Conteúdo: Análise do processo de constituição do território urbano do Rio de Janeiro ao longo dos últimos cem anos, a montagem da infra-estrutura urbana e as contradições sociais oriundas deste processo. Os principais desafios sociais vivenciados na atualidade, com ênfase nas questões de favelização, violência, transporte e saúde.

Conteúdo Programático:

Unidade I: Espaço, territorial e sociedade: um diálogo multidisciplinar

Unidade II:. A Montagem do Rio de Janeiro cidade e região e as intervenções urbanas;

Unidade III: Os transportes, a habitação popular, a violência e as doenças, numa perspectiva histórica

Unidade IV: Os temas sociais da atualidade

Bibliografia Básica

  • ABREU, Maurício de Almeida. Evolução Urbana do Rio de Janeiro – 4° edição. Rio de Janeiro, 2000.
  • CARLOS, Ana Fani – Espaço-Tempo na Metrópole: A  Fragmentação da Vida Cotidiana. São Paulo, Contexto, 2001.
  • ________________O Espaço Urbano: Novos Escritos sobre a Cidade. São Paulo, Contexto,2004.
  • CHALHOUB, Sidney. Trabalho, Lar e Botequim: O cotidiano dos Trabalhadores no Rio de Janeiro da Belle Époque São Paulo. Brasiliense, 1986.
  • COSTA, Eliane (coord.) Circuito Mauá: Saúde, Gamboa e Santo Cristo. 1998.CCJE (biblioteca). Descrição: CD – Rom. Coleção: Arquivo Computador
  • HONORATO, Cezar – O Porto e o Polvo. SP, Hucitec, 1996
  • _______________(Coord) – O Clube de Engenharia nos Momentos Decisivos da Vida do Brasil. Rio de Janeiro, Clube de Engenharia, 1996.
  • _______________Urbanização, o Sujeito Simples e a Violência Cotidiana. Belém, PPGDU/UFAM,2008, mimeo
  • MARTINS, José de Souza – A Sociabilidade do Homem Simples. São Paulo, Contexto, 2008, 2ª edição
  • MENEZES, Maria Thereza C. G. – Em Busca da Teoria: Políticas de Assistência Pública. SP, Cortez/UERJ, 1993.
  • SANTOS, Milton – O Espaço do Cidadão. São Paulo, Nobel, 1991
  • VALLADARES, Lícia do Prado – A Invenção da Favela: do mito de origem a favela. Com. Rio de janeiro, FGV, 2005

História do Poder e das Idéias Políticas – Ronald Raminelli

janeiro 14, 2009

História do Poder e das Idéias Políticas

Professor: Ronald Raminelli

Título do curso: Elites: conceitos e perspectivas no Antigo Regime Ibérico

Ementa:

Resumo: Análise dos principais conceitos e abordagens da historiografia dedicada às monarquias ibéricas e suas colônias. O interesse principal do curso é investigar as especificidades do mundo lusitano e hispânico.

Conteúdos:

1 – Estado Moderno e Império colonial;
2 – Antigo Regime e hierarquia Social;
3 – Fidalguia e Nobreza;
4 – Honra e Limpeza de sangue.

Bibliografia:
ELLIOTT, John H. Una Europa de Monarquias Compuestas In: España en Europa. Estúdios de História Comparada. València: Universitat de València, 2002.

FRAGOSO, João. A nobreza da República. Topoi. Rio de Janeiro, v.1: 45-123, 2000.

MARAVALL, J. A. Poder, honor y élites en el siglo XVII. Madrid: Siglo XXI, 1989.

MELLO, E. C. Rubro Veio. São Paulo: Alameda Editorial, 2008.

MONTEIRO, Nuno. O “Ethos” nobiliárquico no final do Antigo Regime. Almanack Braziliense, 2, 2005.

OLIVAL, F. “Juristas e mercadores à conquista das honras: quatro processos de nobilitação quinhentistas”, Revista de História Económica e Social, nº 4, 2002.

RAMINELLI, R. Viagens ultramarinas. São Paulo: Alameda, 2008.

____. Da controversa nobilitação de índios e pretos; 1630-1730 (capítulo no prelo).

SCHWARTZ, Stuart B. Segredos internos. (trad.) São Paulo: Companhia das Letras, 1988

SICROFF, Albert. Los estatutos de limpieza de sangre. (trad.) Madrid: Taurus, 1979.

SORIA MESA, E. La nobleza en la España. Madrid: Marcial Pons, 2007.

História da Cultura, Mentalidade e Ideologia no Brasil Colonial – Fátima Gouvêa

janeiro 14, 2009

História da Cultura, Mentalidade e Ideologia no Brasil Colonial

Professor: Fátima Gouvêa

Título do curso: Cultura e Mentalidades Políticas no Brasil Colonial. O Brasil e a monarquia pluricontinental portuguesa: formas de pertencimento cultural, social e político, sécs. XVI, XVII e XVIII

Ementa: O curso analisará as tendências historiográficas mais recentes em termos da abordagem dos estudos sobre cultura e mentalidades políticas no processo de formação do Brasil colonial no contexto da monarquia pluricontinental portuguesa.

Para tanto, analisará brevemente os processos de formação dos Estados modernos ibéricos e seus impérios ultramarinos, bem como as noçoes de monarquia compósita e monarquia pluricontinental. Em seguida, grande destaque será dado a análise da cultura e mentalidades políticas através das quais tal monarquia e seus súditos na América portuguesa teceram vínculos de pertencimento entre si, redes de relacionamento cultural, social, político e material ao longo dos séculos XVI, XVII e XVIII.

Bibliografia:

  • ABREU, Martha; SOIHET, Rachel e GONTIJO, Rebeca, (org.s), Cultura Política na História: Pesquisa e Ensino, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007.
  • ALENCASTRO, Luiz Felipe, O trato dos viventes. Formação do Brasil no Atlântico sul, São Paulo, Cia. das Letras, 2000.
  • BETHENCOURT, F. & CHAUDHURI, K. (org.). História da Expansão Portuguesa. Lisboa, Círculo dos Leitores, 1998-1999, vols. 1, 2, e 3.
  • BETHENCOURT, F. & EGMOND, F. (orgs.), Correspondence and cultural exchange in Europe, 1400-1700, Cambridge University Press, 2007.
  • BICALHO, Maria Fernanda B. & FERLINI, Vera L., (org.s), Modos de Governar. Idéias e práticas políticas no Império português, séculos XVI a XIX. São Paulo, Alameda, 2005.
  • BOXER, Charles R., O Idade do Ouro no Brasil. Dores de crescimento de uma sociedade colonial.  3ª. ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2000.
  • BOXER, Charles R. O Império Colonial Português (1415-1825). Lisboa, Edições 70, 1981.
  • BOXER, Charles, Portuguese society in the tropics, Stanford, 1966.
  • BOXER, Charles R., Salvador de Sá e a luta pelo Brasil e Angola, 1602-1686, São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1973.
  • CALABI, D. & CHRISTENSEN, S.T. (orgs.), Cities exchange in early modern Europe, Cambridge University Press, 2007.
  • CÂNDIDO, Antônio, Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos, Belo Horizonte, Itatiaia, 1981.
  • CARDIM, Pedro, Cortes e cultura política no Portugal do Antigo Regime, Lisboa, Edições Cosmos, 1998.
  • CORTESÃO Jaime, História da expansão portuguesa, Lisboa, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1993 (Coleção Obras Completas, vol. 4)
  • CURTO, Diogo R. & BETHENCOURT, F. (orgs.), Portuguese oceanic expansion, 1400-1800, Cambridge University Press, 2007.
  • ELLIOTT, John, Empires of the Atlantic World: Britain and Spain in America, 1492-1830, Yale Univeristy Press, 2006.
  • FAORO, Raimundo, Os donos do poder, Porto Alegre, Globo, 1984, vol. 1.
  • FRAGOSO, João; ALMEIDA, Carla M. C.; de; SAMPAIO, Antônio C. De J. de, Conquistadores e negociantes. História das elites de Antigo Regime nos trópicos. América lusa, séculos XVI a XVIII, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007.
  • FRAGOSO, J.; GOUVÊA, M. F. S.; BICALHO, M. F. B. (org.s), O Antigo Regime nos Trópicos.  A dinâmica imperial portugues, sécs. XVI-XVIII, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2001.
  • FRAGOSO, João; GOUVÊA, Maria de Fátima S.; e BICALHO, Maria Fernanda B., “Uma Leitura do Brasil Colonial: Bases da materialidade e da governabilidade no Império”.  Penélope. Revista de História e Ciências Sociais. Lisboa, n.º 23 (novembro de 2000): 67-88.
  • GOUVÊA, M. F. S. & FRAGOSO, J. (org.),  O Brasil Colonial,  Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 3 volumes (no prelo).
  • GOUVÊA, M. F. S. & FRAGOSO, J. (org.),  Na trama das redes. Política e negócios no império português, sécs. XVI-XVIII, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira (no prelo).
  • GOUVÊA, M.F.S., FRAZÃO, G. A.; SANTOS, M.N., “Redes de poder e conhecimento na governação do império português, 1688-1735”, Topoi – Revista de História, Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ/ 7Letras, 2004, volume 5, no. 8 (jan.-jun. 2004): 96-137.
  • FURTADO, Júnia (org.). Diálogos Oceânicos. Belo Horizonte, UFMG, 2001.
  • HESPANHA, António Manuel (org.), História de Portugal. Antigo Regime, Vol. 4, Lisboa, Editorial Estampa, 1993.
  • LEVI, Giovanni, A herança imaterial. Trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2000.
  • LOPES, Maria de Jesus dos Mártires (coord.), O império oriental, 1660-1820, Lisboa, Editorial Estampa, 2006 (Coleção Nova História da Expansão Portuguesa).
  • MAURO, Frédéric, A expansão européia, Lisboa, Editorial Estampa, 1995.
  • MAXWELL, Kenneth, A devassa da devassa: a Inconfidência Mineira, Brasil e Portugal, 1750-1808, 3 ed., São Paulo, Paz e Terra, 1985.
  • MELLO, Evaldo C. de. A Fronda dos Mazombos. São Paulo, Cia. das Letras, 1995.
  • _____, Evaldo C. de.  Rubro Veio. Rio de Janeiro, Topbooks, 1997.
  • _____. Olinda Restaurada. Rio de Janeiro, Topbooks, 1998.
  • MONTEIRO, J. M., Negros da TerraÍndios e Bandeirantes nas Origens de São Paulo, São Paulo, Cia. das Letras, 1994.
  • NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial (1777-1808). São Paulo, Hucitec, 1978.
  • PAGDEN, Anthony, Spanish imperialism and the political imagination: studies in European and Spanish-American social and political theory, 1513-1830, Yale University Press, 1998.
  • PRADO Jr., Caio, Formação do Brasil Contemporâneo, 15ª. ed., São Paulo, Brasiliense, 1977.
  • PUNTONI, Pedro, A Guerra dos Bárbaros. Povos indígenas e a colonização do sertão. Nordeste do Brasil, 1650-1720, São Paulo, Hucitec, 2002.
  • RUSSELL-WOOD, J. A. R. “Centro e periferia no mundo luso-brasileiro, 1500-1808”. Revista Brasileira de História. São Paulo, vol. 18, nº 36 (1998): 187-249.
  • _____. Fidalgos e Filantropos. A Santa Casa de Misericórdia da Bahia (1550-1755). Brasília, EdUnB, 1981.
  • _____. Um Mundo em Movimento. Os Portugueses na África, Ásia e América (1415-1808). Lisboa, Difel, 1998.
  • SCHWARTZ, Stuart, Burocraica e sociedade no Brasil colonial. Corte da Bahia e seus juízes, São Paulo, Perspectiva, 1979.
  • _____.  Segredos Internos. Engenhos e Escravos na Sociedade Colonial. São Paulo, Cia. das Letras, 1995.
  • SOARES, Mariza de Carvalho. Identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro, século XVIII. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2000.
  • SOUZA, Laura de Mello e, O sol e a sombra, São Paulo, Cia. das Letras, 2005.
  • SOUZA, Laura de Mello e (org.).  História da Vida Privada no Brasil. Cotidiano e vida privada na América portuguesa. São Paulo, Cia. das Letras, 1997.
  • SUBRAHMANYAM, Sanjay, O império asiático português, 1500-1700. Uma história política e económica, Lisboa, Difel, 1995.
  • THOMAZ, Luís Felipe.  De Ceuta a Timor.  Lisboa, Difel, 1995.
  • THORNTON, J. A África e os africanos na formação do mundo Atlântico, 1400-1800, Rio de Janeiro, Campus, 2004.
  • VAINFAS, Ronaldo, A Heresia dos Índios – Catolicismo e Rebeldia no Brasil Colonial, São Paulo, Cia. das Letras, 1995.
  • VAINFAS, Ronaldo, Traição. Um jesuíta a serviço do Brasil holandês processado pela Inquisição, São Paulo, Cia. das Letras, 2008.
  • VAINFAS, Ronaldo (org.). Confissões da Bahia. São Paulo, Cia. das Letras, 1997.
  • VAINFAS, Ronaldo (dir.). Dicionário de História Colonial (1500-1808). Rio de Janeiro, Objetiva, 2000.
  • VAINFAS, R. SANTOS, G., NEVES, G. P. (orgs.), Retratos do Império. Trajetórias individuais no mundo português nos séculos XVI a XIX. Niterói, EdUFF/ Universidade Federal Fluminense, 2006.
  • XAVIER, Angela Barreto, A invenção de Goa, Lisboa, ICS, 2008.